Fonte: SYFY WIRE

Uma das maiores maravilhas de Viúva Negra é a estreia de Yelena Belova no Universo Cinematográfico Marvel, interpretada por Florence Pugh.

Outra vítima da Sala Vermelha, Belova acaba se juntando com Natasha Romanoff (Scarlett Johansson) e o filme já começa vermelho com brincadeiras fraternais.

Além de finalmente preencher a história de Natasha, apresentar Yelena é provavelmente a maior contribuição do filme para o MCU como um todo, principalmente para o avanço. Este é apenas o começo para ela, e a própria Pugh tem algumas ideias sobre quais heróis ela gostaria de co-estrelar.

Pugh as compartilhou com SYFY WIRE durante um recente encontro com a imprensa, que também contou com Johansson, Rachel Weisz (Melina), David Harbour (Guardião Vermelho), a diretora Cate Shortland e o supervisor do MCU Kevin Feige. Antes de entrar no fan-casting do seu futuro, Pugh também falou sobre seus primeiros dias no set e como Yelena se desenvolveu.

Um dos traços mais cativantes de Yelena é que ela é, por falta de uma maneira melhor de dizer, é adoravelmente esquisita. Isso é um elogio. Ela é excêntrica. Ela está marchando ao seu próprio ritmo, o que a torna ainda mais divertida, sem sacrificar sua natureza letal. Isto foi algo que Pugh disse que a diretora Cate Shortland encorajou, e foi alimentada por um conjunto de boas-vindas.

 

“Acho que Cate realmente me encorajou a encontrar, você sabe, as peculiaridades dela e meio que me apoiei nisso”, disse Pugh, acrescentando que Johansson também foi extremamente acolhedora. “Eu realmente achei um espaço tão maravilhoso e criativo… e apenas para me divertir”. Acho que isso foi de maneira geral”. Estas duas irmãs se divertem tanto juntas… entre todas as dores que elas compartilharam”.  

Pugh e Johansson se conheceram rapidamente, já que a primeira coisa que elas filmaram foi uma cena de luta. Johansson estava filmando há duas semanas, mas a luta aconteceu na primeira semana de filmagens de Pugh.

“Literalmente no meu primeiro dia eu estava, tipo, jogando Scarlett contra uma parede, e ela estava esmagando meu rosto na pia”, disse Pugh. “E eu me lembro, tipo, que não havia maneira maior de quebrar o gelo do que realmente lutar com a Scarlett Johansson no chão”. Como tentar sufocar uma à outra”. Quero dizer, foi ótimo que isso tenha sido feito. Nós nos conhecemos e nos tornamos amigas”. 

 

Falando em amigos, houve uma pequena disputa quando a conversa se tornou “com qual super-herói do MCU o elenco gostaria de se juntar”. Johansson já se juntou a praticamente todos, então cabia a Harbour, Weisz e Pugh fazer o sonho.

 

Harbour é um fã do Falcão (Anthony Mackie), especialmente agora que ele é o novo Capitão América. O Guardião Vermelho pode (ou não) ter uma história com a pessoa que detém esse escudo. Weisz teve uma resposta muito mais simples, dizendo sem rodeios: “O Hulk”. Pugh saltou imediatamente: “Oh, eu ia dizer o Hulk” (Felizmente, Weisz e Pugh concordaram que elas poderiam compartilhar).

 

“Imagine se você pudesse controlá-lo”, continuou Weisz. “Você teria gostado da arma suprema”. 

Pugh concordou, dizendo que Melina poderia possivelmente controlar o grandalhão (interpretado por Mark Ruffalo) que, depois dos Vingadores: Endgame, está no modo “Professor Hulk”. Se Weisz acabar trabalhando com ele é um palpite de alguém, mas Pugh parece muito provável de se encontrar com ele.

 

Yelena está confirmada para aparecer em Hawkeye na Disney+, mas não há nada que indique que isso seja o fim de Yelena no MCU. Mark Ruffalo ainda não terminou de interpretar o Hulk, como está previsto para aparecer em She-Hulk, também na Disney+. Não apenas isso, mas o MCU está lentamente construindo uma nova lista de Vingadores, que poderia incluir (mas não está restrita) Kate Bishop (Hailee Steinfeld), Jennifer Walters/She-Hulk (Tatiana Maslany), múltiplos personagens possíveis de WandaVision, Sam Wilson O Capitão América e muito mais.

 

Essa equipe vai precisar de um assassino, então não há maneiras, de Yelena não embolsar parte da ação em Vormir. Quem seria um bom mentor para a equipe? A Capitã Marvel (Brie Larson) seria o ideal, mas para o Techno-Babble (vocabulário técnico próprio da computação, com palavras que não fazem sentido para um “ouvinte comum”) e o ocasional Smash, o Professor Hulk se encaixaria bem. O sonho de Pugh de trabalhar com ele é, pode-se pensar, muito provável que se torne uma realidade. Esperamos que ele não esmague o rosto dela em uma pia.

Fonte:THR 

A química de Scarlett Johansson e Florence Pugh em Black Widow é tão impressionante que você seria perdoado se pensasse que o thriller de ação e espionagem da Marvel Studios foi a última de várias colaborações juntas. Em vez disso, a viúva marca a nona aparição de Johansson no MCU e apresenta aos espectadores a personagem de Pugh, Yelena Belova, que compartilha um passado trágico com Natasha Romanoff. Desde que Natasha sacrificou sua vida em Vingadores: Endgame de 2019 , Johansson indicou que Widow – que acontece sete anos antes do Endgame – é provavelmente o canto do cisne dela como o personagem que ela habita desde o Homem de Ferro 2 de 2010. Portanto, ela agora está transmitindo a Pugh as mesmas palavras de sabedoria que Samuel L. Jackson uma vez deu a ela.

“O trabalho físico é tão intenso, e você pode realmente se esgotar nisso”, disse Johansson ao The Hollywood Reporter . “Eu disse a Florence no começo que este é um longo trabalho. E vender coisas – a força emocional por trás disso – é uma forma muito mais valiosa de gastar seu tempo do que realmente tentar ser um atleta profissional. Todo o departamento de acrobacias são atletas incríveis, e você nunca alcançará seus 16 anos de profissionalismo, ou o que seja, em quatro semanas. Então esse é o único conselho que eu gostaria de ter recebido, que, eventualmente, Sam Jackson me deu e agora eu passo de mim para Florence. – Não se mate, garota ! Sam Jackson disse para mim; foi algo assim. Então eu segui seu conselho. ”

Viúva Negra também contém uma piada envolvendo a aversão de Yelena à tendência de Natasha de posar durante as lutas. No final das contas, esse detalhe foi adicionado ao script no último minuto depois que Pugh comentou sobre como esse comportamento é impraticável.

“Lembro que a equipe de dublês estava tipo, ‘Então, Florence, o que vamos fazer com a sua pose?’”, Lembra Pugh. “E eu pensei, ‘Oh Deus, eu tenho que pensar em uma pose !?’ E eles disseram, ‘Sim, porque você sabe que o de Scarlett é esse.’ E eu fiquei tipo, ‘Eu sei! Quem realmente pousaria assim? Isso é ridículo!’ E eles disseram, ‘Bem, sim. Se ela realmente caísse assim, teria quebrado a coluna. E lembro que estava apenas provocando [Scarlett] por isso, e Eric [Pearson], o escritor, estava no set e disse, ‘Sim, isso está indo para o roteiro!’ ”

Em uma conversa recente com THR, Johansson e Pugh também discutiram sua cena de briga na cozinha e como isso as ajudou a se conhecerem rapidamente. Elas também olham em frente para seus próprios
projetos individuais com o cineasta Sebastian Lelio.

Assobiar é um componente bastante tocante deste filme. Já que tudo pode acontecer na pós-produção, esses eram seus verdadeiros talentos de assobio em exibição?

Scarlett Johansson: ( risos ) Sim! Esses foram os nossos apitos verdadeiros! Colocamos nossos lábios juntos e sopramos.

Florence Pugh: ( risos ) Você não precisava de um pouco de aquecimento, Scarlett, se bem me lembro?

Johansson: Não, posso molhar meu apito!

Johansson & Pugh: ( risos )

Pugh: Então eles realmente eram nossos assobios de verdade.

Então, eu sabia que este filme era para mim quando ele debatia a pronúncia de Budapeste, mas ele realmente me teve na palma da sua mão quando Natasha e Yelena se uniram sobre as chaves do carro. Por outro lado, quando vocês dois se tornaram atores pela primeira vez?
Johansson: Nós tivemos uma experiência de união muito única, basicamente em uma chave de braço.

Johansson & Pugh: ( risos )

Johansson: Então nos unimos por causa de uma chave de braço. Houve um período de ensaio, e (a diretora) Cate Shortland trouxe alguém que poderia nos orientar em alguns exercícios de vínculo e confiança. E isso foi meio bobo e divertido. Mas a verdadeira ligação aconteceu no primeiro ou segundo dia de trabalho de Florence, quando imediatamente nos batemos contra as molduras das portas e armários. Foi tão físico e um verdadeiro quebra-gelo. ( Risos )

Pugh: O momento em que eu morri totalmente foi quando estávamos fazendo uma cena e Scarlett colocou a mão na minha axila. ( Risos ) E eu simplesmente morri porque sabia como estava suado. Então, Scarlett olhou para mim e disse: “Isso é uma cova suada.” Eu estava tipo, “Oh, não! É isso. Acabou. RIP Scarlett Johansson testou meu suor. ” ( Risos )

Johansson: ( risos ) É um trabalho difícil, mas alguém tem que fazer.

Pugh: ( risos )

Florence, suas habilidades de wrestling profissional foram úteis durante esse filme?

Pugh: Oh meu Deus. Sou muito grata por todo o trabalho que fizemos em Fighting with My Family . Eu senti que não estava tão intimidada com o departamento de acrobacias simplesmente por causa disso. Sempre que você precisa ser físico de alguma forma, isso é uma intimação. Você essencialmente quer parecer uma pessoa legal, mas na maioria das vezes, não parece. Então você tem que aprender a ter uma boa aparência enquanto se move, e com Fighting with My Family , foi um show tão bobo, divertido e maravilhoso que realmente tirou qualquer medo de movimento e ação no futuro. Então isso me deixou muito animado, porque eu realmente gosto de ação.

Scarlett, Black Widow é a sua nona aparição no MCU se você contar o pós crédito em Capitã Marvel, e é obviamente o primeiro filme da Marvel de Florence, provavelmente de muitos. Você já chamou Florence de lado e ofereceu a ela o conselho que gostaria que alguém tivesse lhe dado em 2009?

Johansson: Florence é tão controlada. Ela está traçando seu próprio caminho, e nunca senti que precisava guiá-la. É estranho porque ela está aqui agora e estou falando sobre ela. Mas ela está tão confortável em sua própria pele; ela é muito fundamentada; e ela também tem uma carreira muito saudável e um ego saudável. Então ela não precisava de nenhuma orientação minha. Ela está descobrindo tudo sozinha. Mas o trabalho físico é tão cansativo, e você pode realmente se esgotar com isso. Quando comecei a fazer todas as coisas no Homem de Ferro 2, tivemos uma sequência de luta muito grande no corredor e foi muito complicado. Naquela época, os atores estavam fazendo muito mais de suas próprias acrobacias, e era menos ajustado. Passei tantos meses treinando para isso, e isso não quer dizer que você não deva estar fisicamente confortável com as acrobacias e a coreografia que está fazendo; deve ser totalmente uma segunda natureza de algumas maneiras. Mas eu disse a Florence no começo que esse é um longo trabalho. Ela estava particularmente frustrada com algo que não estava pousando ou algo assim, e este é um trabalho tão longo que você tem que se preservar fisicamente. E vender coisas – a força emocional por trás disso – é uma maneira muito mais valiosa de gastar seu tempo do que realmente tentar ser um atleta profissional. ( Risos) Todo o departamento de acrobacias são atletas incríveis, e você nunca alcançará seus 16 anos de profissionalismo, ou o que seja, em 4 semanas. E esses tiros são longos. Eles são muito, muito desgastantes de maneiras diferentes, e você deve preservar sua energia onde ela for mais valiosa. Então esse é o único conselho que eu gostaria de ter recebido, que, eventualmente, Sam Jackson me deu e agora eu passo por mim para Florence. ( Risos ) “Não se mate, garota!” Sam Jackson disse para mim; foi algo assim. Então eu segui seu conselho.

Yelena incomoda Natasha por causa de sua tendência a posar durante as lutas e, embora eu nunca tenha ouvido isso antes, não consigo deixar de ver agora.

Johansson & Pugh: ( risos )

Dado o quão específica é essa observação, as poses de Natasha foram uma piada interna entre você e sua equipe de dublês ao longo dos anos?

Johansson: Meu Deus! Todo esse tempo, nós pensamos que parecíamos tão durões!

Pugh: ( risos ) Você é!

Johansson: ( risos ) Nossos egos foram esmagados. Florence os esmagou em 15 segundos com aquele comentário e, claro, ele entrou no roteiro. Eric Pearson [roteirista] disse: “Temos que usar isso!” Eu fico tipo, “10 anos de trabalho! 10 anos de trabalho! ”

Pugh: Isso foi o que você disse! Isso é exatamente o que você disse no set! Foi engraçado porque obviamente temos essa dinâmica provocativa imediatamente; vem muito naturalmente. E quando estávamos ensaiando, lembro que a equipe de dublês estava tipo, “Então, Florence, o que vamos fazer com a sua pose?” E eu disse, “Oh Deus, eu tenho que pensar em uma pose !?” E eles disseram, “Sim, porque você sabe que o de Scarlett é esse.” E eu fiquei tipo, “Eu sei! Quem realmente pousaria assim? Isso é ridículo!” E eles disseram, “Bem, sim. Se ela realmente caísse assim, teria quebrado a coluna vertebral. ” E eu disse, “Você acha que Scarlett sabe disso !?” E eu lembro que estava apenas brincando com ela por isso, e Eric, o escritor, estava no set e disse, “Sim, isso está indo para o roteiro!”

Johansson & Pugh: ( risos )

Sua co-estrela da Viúva Negra , Rachel Weisz, fez um ótimo filme chamado Desobediência há alguns anos, e vocês duas têm projetos separados em desenvolvimento com seu diretor, Sebastian Lelio. Então Rachel serviu como uma espécie de casamenteira no set de Viúva , ou isso não é nada mais do que coincidência?

Johansson: Eu adorei a Desobediência e, por algum procurador estranho, Rachel serviu como casamenteira sem nem mesmo perceber. Mas realmente é pura coincidência. Eu conheci Sebastian alguns anos atrás; Tenho sido um grande fã de seu trabalho ao longo de sua carreira. Então, eu só queria me encontrar com ele e descobrir no que ele estava interessado e no que estava trabalhando. Então nos encontramos e conversamos sobre todas essas coisas. Procuramos coisas para trabalhar por um período de tempo, trocamos ideias e mantivemos contato. Portanto, desenvolvemos este projeto ao longo deste tempo de quarentena. Foi esse projeto de sonho febril estranho em que trabalhamos, mas é mera coincidência que Florence esteja trabalhando com ele em julho ou agosto.

Pugh: Sim, em julho ! Estou tão animada. Estou genuinamente tão animada.

Johansson: Ele pode estar nos caçando! Acho que é mais uma questão para Sebastian. Ele pode ter uma estratégia estranha.

Pugh: Você acha que ele irá atrás de David Harbor em seguida?

Johansson: ( risos ) Claro! Por que não!?

Bem, espero que vocês dois compartilhem a tela novamente em breve.

Johansson: Muito obrigado!

Pugh: Também quero compartilhar a tela com ela novamente.

Mas não uma tela de zoom – uma tela grande.
Pugh: ( risos ) Sim, de verdade.

Fonte: Marvel

 

Este guia complementar para viúva negra apresenta novas entrevistas com o elenco, como Scarlett Johansson, Florence Pugh, David Harbor e Rachel Weisz, bem como o talento por trás das câmeras responsáveis ​​por trazer o mundo da espionagem de Natasha Romanoff à vida. Além das entrevistas, experimente fotos e imagens impressionantes do filme, bem como uma visão aprofundada da história em quadrinhos do icônico personagem da Marvel.

Graças aos nossos amigos da Titan Comics, temos uma prévia da entrevista de Florence Pugh, abaixo!

Como você se sentiu ao ingressar no Universo Cinematográfico Marvel?

Florence Pugh : Com qualquer franquia é sempre um pouco assustador por causa do que você vai trazer e o que vai tocar. Eu acho que para qualquer ator isso será automaticamente um grande negócio, quer você os assista pessoalmente ou não. Todos ou com algum irmão que os ama.

Foi atraente o quanto o Universo Cinematográfico da Marvel vem se expandindo?

Florence Pugh : Com certeza. O próprio fato de terem colocado Cate Shortland na cadeira de diretor, que eu nunca pensei que estaria dirigindo um desses filmes, diante de uma das mais preciosas histórias é incrível. Isso por si só está se ramificando. O que temos tentado explicar o tempo todo é que parece que Cate está apenas dirigindo outro de seus filmes. Acontece que é com este mega enredo Marvel Cinematic Universe por trás disso. Nunca pensei tanto naqueles dois se cruzando. Como Scarlett disse várias vezes, esta é a hora certa para ela contar a história [da Viúva Negra]. E não estamos fugindo do fato de que esta história é essencialmente sobre mulheres recuperando sua vida. E é um filme da Marvel Studios também. Isso é muito raro e é muito emocionante fazer parte disso.

Conte-nos sobre sua personagem.

Florence Pugh : Eu interpreto Yelena , a irmã mais nova chata que diz tudo o que vem à sua mente sem consequências. Quando a conhecemos, ela está descobrindo o mundo sob uma nova luz. Ela está magoada e complicada e age. Quando ela conhece a personagem de Scarlett, Natasha, Yelena está meio que redescobrindo quem ela é depois de estar no red room por tanto tempo. Então, juntas, elas percebem que ambas estão sofrendo de maneiras muito semelhantes. Existe uma amizade adorável e única entre as duas porque, no final das contas, são irmãs perdidas. Eles consertam uma a outra e os buracos uma da outra em suas vidas. No cerne de tudo está essa jornada muito brutal para descobrir quem elas são, e isso é algo que eu não acho que iria junto com tantas explosões incríveis e armas e isso e aquilo. Na verdade, há uma história muito triste no fundo disso.

Como foi estabelecer esse relacionamento com Scarlett Johansson?

Florence Pugh : Tem sido incrível! No início, obviamente, Cate realmente queria que nós e todas as Viúvas do filme entendêssemos de onde viemos, talvez entendêssemos nossa linguagem corporal, como caminharíamos, como falaríamos sem ser afetados por nenhum dos mundo normal. Obviamente, uma grande parte disso é o fato de que Natasha e Yelena se separaram quando eram crianças e cresceram para viver vidas diferentes. Para ver o que isso faria com o relacionamento delas e o que faria quando eles se vissem novamente anos depois, tivemos que descobrir se teríamos semelhanças, se falaríamos da mesma maneira, se acharmos confortável em torno um do outro. São pessoas que foram dilaceradas e provavelmente têm apenas algumas lembranças uma da outra. Scarlett tem sido a principal força do rosto feminino desses filmes por dez anos ou mais. E desde o início ela interpretou uma personagem que não aceita qualquer coisa, pode lutar contra qualquer coisa e é tão compatível quanto qualquer homem que tem todos os dígitos. É um emblema legal de usar.

Fonte: Comicbook

 

  1. Na tarde de sexta-feira, o elenco, o diretor e o produtor do filme ‘Viúva Negra’ da Marvel se reuniram em todo o mundo para uma entrevista coletiva no Zoom para discutir o lançamento do primeiro filme da Marvel Studios desde ‘Avengers: Endgame’, em maio de 2019, e ‘Spider-Man: Far From Home’, em julho de 2019. Estavam presentes a estrela e produtora executiva Scarlett Johansson, a diretora Cate Shortland, os membros do elenco Florence Pugh, Rachel Weisz e David Harbour, e o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige. Foi apresentado por Sarah Spain da ESPN.
    A primeira pergunta: como Shortland quis estabelecer o tom do filme e de seus personagens?

“No início, quando nós falamos sobre o filme pela primeira vez, nós sabíamos que o filme precisava falar sobre duas coisas, que era a Natasha como um indivíduo e sobre o que aconteceu com ela e quem ela era no início do filme, que era completamente só,” Shortland explicou. “E depois eu queria que fosse muito divertido. Eu meio que queria que fosse tipo um passeio de feira, realmente animado… Nós queríamos que fosse cru e que essas coisas se misturassem perfeitamente. Sempre foi a colocando no centro de tudo, mas certificando de que o trauma do passado dela não deixasse o clima pesado.”

O que o período de tempo diz e porque foi escolhido para o panorama de ‘Viúva Negra’?

“Significou que nós especificamente sabíamos que havia um grande período da vida dela que nós não sabíamos nada sobre, não apenas a infância dela, mas este período de tempo entre Civil War e Infinity War,” Feige disse. “Este período nós pensamos que estava incrivelmente maduro para descobrirmos, mais sobre o presente dela e dar uma diga sobre o legado do futuro… Tudo ao mesmo tempo graças à Cate Shortland.” Feige credita ao interesse das pessoas no personagem, à performance de Scarlett e as sementes plantadas nos filmes anteriores.

O que Scarlett pôde fazer com a Natasha que ela não pôde fazer nos filmes anteriores?

“A Cate mencionou que a Natasha no começo deste filme está realmente sozinha pela primera vez,” Scarlett disse. “Ela sempre foi parte de algo que fizesse parte de algo maior… Ela está fora do jogo dela e ela percebe que teve todas as possibilidades a frente dela e isto é realmente sufocante. Depois ela é cegada por esta pessoa que surge do passado dela que está simplesmente pegando fogo e que é uma responsabilidade e tem essa energia louca e é perigosa e cheia de vida e não é carente, mas precisa dela. Ela é jogada muito para fora do jogo dela nisto. É ótimo ve-la desta forma. Nós nunca tínhamos a visto desta forma.”

Também houve a construção da pose de Scarlett, que começou em ‘Homem de Ferro 2’, que se tornou parte de uma piada em ‘Viúva Negra’. “Eu passei 10 anos construindo esta pose icônico com um peso e significado enorme e em segundos ela jogou tudo fora!”, Scarlett brincou.

“Você ria às vezes,” Florence acrescentou.

Como Florence entrou no personagem de Yelena e a desenvolveu?

“Desde o início ficou muito óbvio que elas tinham esta conexão e tinham este relacionamento e, no fim, apesar da lista de habilidades dela, ela é aquela irmã mais nova incrivelmente irritante que diz as coisas mais inoportunas em todos os momentos certos,” Florence disse. “Algo que eu gostei muito foi a Cate ter sido tão receptiva com o fato de eu estar entendendo como ela pensa, como ela se move e o que ela veste. Eu acho, para mim, que isso foi uma parte tão divertida deste personagem. Ela realmente sai da Red Room e pode começar uma vida, pode comprar roupas e pode comprar uma roupa que tenha muitos bolsos… Muito disto nós podemos ver na cena final que ela está florescente, ela está se tornando ela mesma.” Florence também elogia Scarlett por ter recebido ela tão bem e ter criado um espaço tão confortável.

A primeira coisa que Florence gravou foi muito intenso. “A primeira cena que nós gravamos foi a da luta em Budapeste na casa,” Florence disse. Era a primeira semana de Florence e a segunda de Scarlett no set. Shortland explicou que o set era “tipo um forno microondas” porque foi gravado durante uma onda de calor.

Weisz é perguntada sobre estar envolvida com um filme que envolve tantas personagens femininas poderosas. “Eu amo histórias sobre mulheres dirigidas por mulheres. Eu amo interpretar mulheres opostas, mas eu realmente gosto de interpretar com o Guardião Vermelho, Alexei, também,” ela disse. “Eu precisava simplesmente me roubar alguns dias para parar de rir do David Harbour! Foi muito adorável. O que eu amo sobre a Melina é o fato de ela não ter absolutamente nenhum senso de humor, tipo, nenhum… Isso a deixa bem engraçada às vezes. Personagens diferentes.”

David Harbour é perguntado sobre o fato do Guardião Vermelho ser humorado e sério, tudo ao mesmo tempo. “Ele é cheio de luto sobre as escolhas que fez,” Harbour disse. “A comédia em si surge do que é construído para defender o remorso… Isso é inerentemente engraçado, isso é inerentemente bobo. Também a dinâmica familiar entre eles é simplesmente muito divertida… Há quase que uma cena tradicional de nós em volta da mesa, na qual nós todos estamos em nossas roupas de super-heróis… Eu vejo todos nós caindo nestes personagens clichês e depois rindo deles. Isso também foi muito divertido e satisfatório.”

Scarlett que talvez esteja saindo do mundo da Marvel, é perguntada sobre como é receber novas pessoas na família Marvel através do elenco de ‘Viúva Negra’.

“É empolgante porque eu sou parcial, eu amo a nossa família Marvel e eu sei o quão especial é e como são experiências especiais fazer estes filmes, então eu simplesmente estou empolgada para que entrem novos atores, porque eu sei, eu espero, que eles se sintam de forma parecida. É maravilhoso ver pessoas chegarem para fazer as coisas empolgadas e com os olhos brilhantes e poder vivenciar este mundo incrível da Marvel e fazer estas produções enormes… Todos nós já fizemos parte de produções grandes antes, meu acho que pelo fato da Marvel ser tão familiar, simplesmente é único, caloroso, um lugar convidativo… É simplesmente uma coisa divertida de se compartilhar.”

Shortland discute a criação de cenas de luta após ser questionada se filmes MCU anteriores influenciaram o estilo. “Lutas diferentes tinham corações diferentes”, disse ela. “Digamos que estamos olhando para a luta na ponte com o Taskmaster, ela está tentando usar seu conjunto de habilidades, mas aquele personagem com quem ela está lutando, ele pode, ou ela, pode fazer o que ela pode fazer, basicamente. Scarlett não pode usar essas habilidades. O que tentamos fazer em outras lutas foi realmente bagunçar tudo e se tornou como uma luta de rua. Com a irmã dela, ela enfrentou um adversário formidável, então aquelas lutas se tornaram confusas e cruas e isso foi muito divertido. O começo … Foi assistir humanos lutando, não super-heróis, e então eles teriam que realmente lutar… Kevin sempre quis que houvesse estacas. Não era como se as lutas pudessem ser perfeitamente coreografadas.”

Com quais outros heróis da Marvel Harbour e Weisz gostariam de se juntar? Harbor quer ver o Red Guardian com o Capitão América e Weisz quer ver Melina se aliar ao Hulk. “Você tem uma grande lacuna de 25 anos que não sabemos”, disse Harbor sobre seu personagem. “Ele tem todas essas histórias sobre sua vida e o que aconteceu. Elas são questionáveis ​​sobre o que é real … Eu acho que o clássico da Guerra Fria é uma dinâmica muito divertida e engraçada entre esses dois caras e o fato de que eles basicamente surgiram como ogivas nucleares em uma corrida armamentista, juntos. ”

Feige é questionado se os fãs de MCU podem esperar mais prequels. “Este filme e esta história são um caso particular para Natasha, mas a noção de explorar o passado, presente e futuro do MCU está certamente nas cartas de todos os nossos personagens.”

Ele é então questionado sobre os créditos animados de abertura de Black Widow . “Os visuais únicos? Você está se referindo às crianças gritando e chorando? Precisávamos preparar o cenário para o que todas essas mulheres passaram no passado e o que Ray Winestone, o vilão do nosso filme, fez e o que o fez tão mal em seus negócios “, explicou Feige. “Essa ideia surgiu … para mostrar o momento em que eles foram separados. O que aconteceu depois que eles foram separados?… Foi tremendo e foi uma sequência rara de título de abertura que ajudou a definir o tom e a história de fundo para a personagem de Natasha. ”

Como essa história aconteceu para Johansson? “Começamos a falar sobre este filme como uma possibilidade mais séria quando estávamos fazendo Guerra Infinita”, disse Johansson. “Já sabíamos como seria Ultimato para Natasha. Queríamos ter certeza de que era uma escolha que ela fez ativamente, que parecia que ela tinha uma decisão naquele momento. Então, sabendo disso, tínhamos que trabalhar para trás para que ela pudesse chegar a um lugar onde isso fosse possível. Sabíamos que neste filme, ela tinha que evoluir para um lugar onde ela estava avançando em sua vida e havia resolvido o trauma de seu passado… que ela se sentia como uma pessoa diferente seguindo em frente, se faz tanto sentido. Foi uma maneira muito estranha de trabalhar… talvez seja sempre o caso com uma prequel, eu nunca fiz nada parecido.”

Que característica Johansson deseja que as pessoas se lembrem de Natasha?

 

“Eu ia dizer a pose, mas Florence estragou isso”, brincou Johansson. “Eu acho que Natasha tem muita integridade. Ela é uma grande personagem. Ela não tem medo de admitir quando está errada. Ela é cativante desse jeito. Ela é curiosa sobre si mesma e sobre outras pessoas. Acho que isso a faz se destacar.”

 

 

 

Fonte: Omelete

Desde o anúncio da escalação de Florence Pugh como Yelena Belova em Viúva Negra, especulações circulam de que a jovem assumirá o manto da heroína no futuro do MCU, assim como aconteceu nos quadrinhos. Durante uma visita ao set da produção, no entanto, Pugh conversou com o Omelete e se disse incerta sobre o futuro:

“Já me perguntaram isso tantas vezes, e eu honestamente não sei a resposta”, disse a atriz. Pugh então enfatizou que o manto de Viúva Negra não é único, e este tema é algo que será explorado no longa de Cate Shortland:

“O que eu posso dizer é que não há apenas uma, nem duas. Existem muitas Viúvas Negras, e eu acho que o que as pessoas esquecem é que uma Viúva Negra é uma pessoa que passou por um treinamento único. Existem muitas histórias a serem contadas sobre isso”.

Após contornar o questionamento, Pugh concluiu: “Tem sido uma ótima experiência. E eu não sei se teremos uma próxima”.

Anteriormente, Scarlett Johansson impulsionou os rumores de futuro de Pugh descrevendo o longa como uma passagem de bastão, mas a atriz britânica negou qualquer confirmação.

Fonte: Collider

 

Em 2019, a Disney convidou o Collider e alguns outros jornalistas para irem até Londres para visitar o set das instalações do novo filme da MCU, ‘Viúva Negra’, enquanto estava em produção. Finalmente a hora de nós compartilharmos o que nós descobrimos chegou.

‘Viúva Negra’ estreia nos cinemas no dia 09 de julho de 2021 (assim como será simultaneamente lançado no acesso première do Disney+), após quase um ano sendo adiado devido à pandemia do COVID-19. Nós tivemos a sorte de conversar com várias pessoas que trabalharam no filme, incluindo a Florence Pugh, que interpreta Yelena Belova no filme.

Nós conversamos com Florence sobre entrar no MCU durante a Fase 4, filmar cenas de luta e sobre o seu relacionamento com a Viúva Negra original (tanto dentro quando fora das telas), Scarlett Johansson.

Como é o seu relacionamento com a Nat?
Como é o meu relacionamento com a Nat? Confuso. Pirracento. Emotivo. Relacionamento fraternal. Exatamente o que você esperaria que uma irmã mais nova fosse. A Yelena é profundamente irritante e basicamente tira sarro com tudo que a Natasha faz, mas fundamentalmente elas têm um relacionamento muito único e forte que as carregam durante o filme.

O que você acha dos amigos Avengers dela?
Eu não sei o que a Yelena pensa sobre eles. Realmente foi focado nesta história. Foi mesmo mais sobre a nossa família e de onde nós viemos e como nós estamos destruídas e como nós superamos. Eu tenho certeza que há lugar para tudo isto por aí.

Como é o seu relacionamento com Alexi e Melina?
Tudo igual. Então, nós conhecemos estes personagens enquanto eles meio que se tornaram adultos distantes uns dos outros e entender os relacionamentos deles como adultos, obviamente, é difícil, porque eles têm os mesmos padrões que eles tinham quando eram crianças ou quando eles eram pais e descobrir tudo isto foi muito divertido. Especialmente com o David e a Rachel. Eles são tipo essa família russa grande, maluca e doida e eles têm muito amor uns pelos outros.

O que você ama no seu personagem? O que você acha que ela pergunta sobre o universo Marvel?
O que eu amo na Yelena – e na Yelena que nós criamos, até mesmo em termos de figurino – é que não há brincadeira. Não há sinos e assobios com ela. Ela meio que faz o que tem que fazer e seja brigando com alguém ou abusando verbalmente de alguém, é tudo muito direto e bem sem enrolação e eu realmente amei interpreta-la. Ela está pronta para brigar seja com argumentos ou fisicamente. Nada impede ela.

Como foi a experiência de fazer o seu primeiro filme da Marvel?
Quer dizer, eu nunca estive em um filme desta escala. Obviamente, houveram outros, mas é incrivelmente desafiador chegar nisto e pensar qual preparação você deveria estar fazendo por conta própria e qual a preparação que a Marvel espera que você faça? O quão físicos são os papéis? E isto é algo que eu definitivamente não fazia ideia, do que eles estavam esperando de mim e na verdade a Scarlett me ajudou muito com tudo isto e sentar lá e escutar o que ela tinha a dizer sobre os últimos 9 anos da vida dela, eu suponho, da carreira dela no Marvel Universe.

E você escolheu alguns filmes muito incríveis e você já tem muitos fãs, mas o quão preparada você está para a sua vida mudar completamente e se tornar uma das pessoas mais famosas do planeta?
Sabe o que é engraçando? É que quando aconteceu eu fiquei tipo “Ah, ótimo! Eu vou estar em um filme da Marvel!” e desde que eu entrei para um filme da Marvel, todo mundo me perguntou esta pergunta e agora eu estou tipo “Ai meu Deus! O que vai acontecer?” Eu não sei. Eu acho que é uma coisa maravilhosa ter seguidores e fãs e que as pessoas respeiem o meu trabalho e respeitem o fato de agora eu fazer parte do Marvel Universe e eu suponho que eu vou ter que esperar para ver. Mas eu sempre fui uma pessoa muito honesta e aberta em entrevistas e com fãs e eu espero que eu possa continuar fazendo isto e que só sejam coisas maravilhosas em fazer parte de uma família tão grande e em crescimento.

Então, como a Yelena, havia alguma super heroína mulher que você meio que se inspirava e que te ajudou a representar a personagem?
Esta é uma pergunta muito interessante, porque é verdade que hajam filmes – eu cresci assistindo ‘As Panteras’ e eu sei que não há nenhuma semelhança entre este e aquele, mas o fato de que eu pude chegar nisto tipo “Isso! Eu sou uma garota e eu vou poder dar chutes altos!” e de fato uma das melhores habilidades da Yelena é o fato de ela dar chutes realmente altos!

Quais os pensamentos da Yelena sobre o programa de treinamento de Viúva Negra?
Boa pergunta. Eu acho que uma das coisas mais tristes deste filme é que ele é essencialmente sobre mulheres que foram fisicamente abusadas. Todas elas estiveram de alguma forma aprisionadas e eu acho que este filme é a realização da vida que foi tirada delas e é assim que a Natasha e a Yelena começam a se curar. Então eu não acho que ela esteja tão feliz com isto. Mas então também é a única coisa que ela conhece, então eu não sei.

Como foi fazer as sequências de luta?
Incrível. Então, eu amei as acrobacias disto. Provavelmente é a minha parte favorita deste personagem e eu me apaixonei com este tipo de movimento e ação e acrobacias quando eu fiz um filme de luta, ‘Fighting With My Family’, então ao chegar nisto eu sabia que isto era intimidante, mas eu realmente adorei e na verdade o time de acrobacias fica muito empolgado quando você quer fazer mais. Eles realmente querem que você faça o máximo possível. Nas primeiras duas semanas após eu conseguir o trabalho eu já estava no armazém aprendendo a tipo chutar com um dos melhores lutadores de kickboxing que existe e é incrível o quanto eles querem que você aproveite e faça e eles criam lutas que você é capaz de fazer se você está disposto e foi muito empolgante. Quer dizer, sim, eu sempre achei que era uma coisa muito maior e na verdade estar ali e realmente prender a Scarlett Johansson contra a bancada da cozinha foi o primeiro dia que eu trabalhei com ela e nós não nos conhecíamos antes. Eu estava tipo “Oi, eu vou te bater agora!”, mas foi ótimo e nós nos apaixonamos durante esta luta, porque foi simplesmente tão bagunçado e foi legal.

Fonte: Entertainment Tonight

 

Dez anos, 23 filmes e uma pandemia depois, Viúva Negra está assumindo a liderança no Universo Cinematográfico da Marvel. “Já era hora”, disse Scarlett Johansson a Nischelle Turner quando o ET visitou o cenário do filme no Reino Unido em agosto de 2019. “Acho que já era hora.”

As discussões sobre a assassina que virou espiã e vingadora de Johansson como atração principal de seu próprio filme, na verdade, começaram não muito depois de ela se juntar ao MCU em Homem de Ferro 2 de 2010 . Depois de reunir-se com os heróis mais poderosos da terra em Os vingadores, o chefe do estúdio Kevin Feige sugeriu a ela que um filme da viúva negra poderia estar nas cartas, embora nada tenha acontecido imediatamente. “Era um ambiente tão diferente e até mesmo o que estava acontecendo no zeitgeist era diferente,” Johansson reflete. “Só acho que teria sido muito diferente por causa da minha própria experiência de vida.”
Levaria mais seis anos até que a Viúva Negra começasse a sério sua jornada aos cinemas . Em 2018, Cate Shortland foi contratada para dirigir e contratou um elenco de apoio, incluindo Florence Pugh , Rachel Weisz e David Harbor . No ano seguinte, a Marvel Studios lançou Avengers: Endgame , que viu Natasha Romanoff de Johansson cair para a morte após se sacrificar para impedir Thanos. No entanto, sua história não acabou.

Viúva Negra não vai desfazer o final de Natasha – o filme se passa entre os eventos de Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita – mas vai abrir seu notório livro vermelho e explorá-la mais plenamente como personagem. Pugh e Weisz interpretam as viúvas Yelena Belova e Melina Vostokoff como o trio que deve enfrentar seu passado e o misterioso vilão chamado Taskmaster. (O filme foi originalmente programado para estrear em 2020, antes que os atrasos da pandemia o empurrassem para o verão de 2021.)

Durante uma pausa nas filmagens no Aeródromo Dunsfold em Surrey, Inglaterra, Johansson e Pugh discutiram por que agora é a hora de a Viúva Negra finalmente ter seu filme e as “reações mistas” de Johansson ao descobrir o destino de sua personagem no Endgame.

ET: O que você lembra sobre receber aquela ligação no dia em que eles finalmente disseram, “OK, estamos fazendo isso. [Estamos fazendo um filme da viúva negra .]”?

SCARLETT JOHANSSON: O dia. Fiquei esperando no telefone por cerca de 10 anos apenas esperando por Kevin Feige. Apenas segure a música por 10 anos. Eu tenho uma memória – porque estávamos todos bebendo muito vinho tinto, talvez seja uma memória real ou uma memória de vinho tinto, não tenho certeza, mas acho que Kevin Feige se lembra disso também – estávamos comemorando a imprensa tour do primeiro filme dos Vingadores , então meio tempo atrás. Estávamos todos nos divertindo e Feige e eu nos sentamos um em frente ao outro em uma mesa e ele abordou o assunto e começamos a conversar sobre o que poderia ser [e] a possibilidade de ser independente. E isso foi, não sei, oito anos atrás ou algo assim e teria sido um filme muito diferente do que estamos fazendo agora.

FLORENCE PUGH : Você estava lá desde o início? Do começo?

JOHANSSON: Sim. Oi. Scarlett. Prazer em conhecê-lo. [ Risos ]

Eu acredito que tudo acontece quando é suposto, e eu acho que este é um momento muito bom para ter esse filme com sua voz e sua perspectiva e depois com essa fodona [Florence].

JOHANSSON: O que é tão bom nisso é que realmente somos capazes de explorar a relação entre essas duas personagens [Natasha e Yelena]. Teria sido tão diferente oito anos atrás, porque acho que as mulheres foram e muitas vezes são colocadas umas contra as outras de uma forma muito irreal. Somos capazes de realmente explorar as complexidades de um tipo de relacionamento de irmã em todas as complicações do amor e também da decepção e todas essas coisas.

E você tem Rachel [Weisz].

PUGH: Rachel e Cate [Shortland]. Não vamos esquecer Cate! É muito louco.

JOHANSSON: Estou sempre feliz por ter um emprego, mas fico feliz em dizer que todos os dias venho trabalhar nisso, sinto-me incrivelmente feliz só porque temos uma equipe incrível, mas temos um grupo incrível de mulheres que estão chegando todos os dias totalmente comprometidas com grandes ideias e comprometidas apenas em fazer disso algo que seja real, profundo e visceral.

Florence, como foi para você receber uma ligação dizendo “Bem-vindo ao Universo Marvel”?

PUGH: Estranho, porque tudo começou imediatamente em termos de treinamento e eu conheci todos esses dublês incríveis que estavam desesperados para me fazer ir, eu realmente não tive um momento para realmente pensar sobre isso. Estamos filmando há cerca de dois meses, mas quando realmente entendi, foi na Comic-Con. Saímos e foi quando eu pensei, “OK, aconteceu. Está acontecendo. Não posso voltar agora.” Não consegui ver a parede do fundo. Foi louco.

JOHANSSON: É impossível explicar o quão avassaladora é a sensação de entrar no palco principal da Comic-Con.

PUGH: Isso é ser parte disso, é isso. Foi magnífico.

JOHANSSON: E então quando você vê a participação de todo o elenco da Marvel e todos os diretores e toda a programação para a próxima fase, é incrível.

PUGH: E também ganhei um boné!

JOHANSSON: É por isso que ela foi. Ela escolheu pelo boné.

Vamos falar sobre ela como se ela não estivesse aqui por um segundo. O que torna Florence a ‘um’ para se atentar?

JOHANSSON: Eu tenho que cuidar dela o tempo todo, porque ela tenta me fazer tropeçar muito.

PUGH: Para me dar abraços!

JOHANSSON: Eu sei. Ela é realmente fofa. Ela é realmente aconchegante. Quero dizer, é tão embaraçoso falar sobre alguém quando ela está ali –

PUGH: Eu posso me virar!

JOHANSSON: Florence é uma atriz talentosa e ela é verdadeira. Ela é uma parceira de cena incrível e tem uma visão nova de tudo e te conhece bem ali. É incrível. Eu amo trabalhar com ela. Adoro.

Esses abraços e depois você batalha, certo?

PUGH: Bem, como você disse antes, essa é provavelmente uma das coisas mais legais sobre nosso relacionamento é, tipo, melhores amigas, família, mulheres, há muito amor e tanto, tipo, luta e ódio e raiva, mas amor e eles voltem juntos o tempo todo. É muito legal ter essas mulheres fortes basicamente lutando contra tudo juntas.

O quanto você se parece com Yelena na vida real?

JOHANSSON: Penteado, principalmente.

PUGH: Penteado, principalmente. Eu amo os dois rabos de cavalo. Não sei. Ela come muito? acabei de comer nesta cena. [Risos] Eu não sei. Sou muito teimosa.

JOHANSSON: Vou responder a essa pergunta para você. Eu acho que, pessoalmente, vocês são muito, vocês são fogosas.

PUGH: Temos um senso de humor semelhante, provavelmente correto.

JOHANSSON: Seco. Você gosta de agulhar um pouco.

PUGH: [ Risos ] “Você gosta de me cutucar o tempo todo.”

O quanto você se parece com a Natasha?

JOHANSSON: Oh, Deus. Acho que Natasha é muito boa em compartimentar. É bom e ruim, e acho que compartilho essa qualidade para melhor ou para pior.

PUGH: Você também usa exatamente as mesmas roupas. Todos os dias. Ela usa essas botas todos os dias. É muito difícil tirá-la deles. Eu fiquei tipo, “Scarlett! Me dê esses sapatos!”

JOHANSSON: Vou caminhar a vida inteira com essas botas.

Então, vamos definir onde estamos no Universo Marvel com este filme. Porque não é uma prequela. É como um midquel.

JOHANSSON: Vamos ver, como posso maravilhar isso para você? [Para Florence] Você vai ficar boa nisso também. Você não diz absolutamente nada ao dizer tanto.

PUGH: Vou ficar aqui parada e ouvir.

JOHANSSON: Vou ser atingida no pescoço por algum tipo de calmante. Então, isso é obviamente antes da Guerra Infinita e pós-Guerra Civil . Pronto, eu me comprometi com essa resposta.

Desempenhando esse papel pelo tempo que você tem, como é o treinamento? É mais fácil agora?

JOHANSSON: Não, é muito mais difícil porque estou mais velha agora, então tudo é mais doloroso. Acho que estou em boa forma –

PUGH: Ela está em ótima forma.

JOHANSSON: Eu sou paga para ir à academia.

PUGH: Mas é tão divertido. É tão divertido. Para mim, quando comecei tudo isso, era como, “Ei, aprenda tudo isso!” Apenas ter profissionais querendo te ensinar como fazer artes marciais ou, tipo, kickboxing é tão perverso, e então você começa a fazer isso no set com Scarlett e você fica tipo, “O que é minha vida!”

JOHANSSON: E você vê meu velho corpo raquítico e fica tipo, “Oh não! Eu não quero isso!”
Todos nós sabemos que você é uma campeã para as mulheres. Isso é quem você é em sua essência. Você fica orgulhosa de saber que está deixando esse legado para sua filha ver?

JOHANSSON: É difícil ter uma perspectiva sobre isso. Eu provavelmente deveria escolher o trabalho com base no que minha filha vai pensar, mas não o faço de jeito nenhum. Eu acho que isso é parte da coisa de compartimentar. Eu escolho o que parece desafiador para mim e que nunca fiz antes e acho que é algo que estou realmente mais animada para mostrar a ela, é que se você sabe que pode fazer algo, mas não sabe como fazer ‘ vamos fazer isso, assumindo esse tipo de risco e a recompensa possível realmente vale a pena.

PUGH: Imagine sua mãe abrindo caminho para, tipo, super-heroínas. Isso é bem legal.

JOHANSSON: Ela estava animada sobre comer Cheerios outro dia porque eu estava na caixa. Eu estava tipo, “Você vai comer Cheerios ou o quê?” Ela fica tipo, “É a mamãe na caixa”. E eu disse, ‘Tudo bem. Ela vai comer as Cheerios.”

PUGH: Você sabe o que é interessante é crescer, ela nem vai saber que é um grande negócio.

JOHANSSON: Estar em uma caixa de Cheerios?

PUGH: Não, para sua mãe ser um grande super-herói. Mamãe sempre foi uma super-heroína.

JOHANSSON: Honestamente, devo dizer que amo essa personagem. Eu a amo. Tenho muita empatia por ela. Ela é uma espécie de herói despretensioso e inesperado, e faz o maior sacrifício.

Ela faz. Estou muito feliz por este filme ter acontecido, porque quando deixamos Natasha pela última vez, eu fiquei tipo, “Uau, uau, uau. Espere um minuto. Espere um pouco.”

PUGH: Você fez uma pausa, tipo, “Nah, eu não estou assistindo isso.”

JOHANSSON: É engraçado. Eu tive reações mistas sobre seu destino final em Endgame , mas para mim, fazia muito sentido que ela se sacrificaria não apenas pelo bem maior da humanidade, mas na verdade por seus amigos, o que era realmente o cerne de tudo. Ela é boa.

Fazia sentido, mas não gostei.

JOHANSSON: Quer dizer, eu não estava louca para pular. Eu estava tipo, “Ugh, tudo bem. Acho que vou ter que dar o salto.” Eu ou Renner. Eu ou Renner. A escolha de Sophie para algumas pessoas, o que posso dizer?

Fonte: Deadline 

Mesmo com Black Widow marcado para fazer sua estreia mundial em julho, Florence Pugh continua a adicionar ao seu crescente card, já que ela estrelará a adaptação de Emma Donoghue, The Wonder. O diretor de uma Mulher Fantástica, Sebastián Lelio, vai dirigir a fotografia. O filme é uma co-produção entre a House Production e a Element Pictures, com Ed Guiney produzindo pela Element e Tessa Ross produzindo pela House Productions. Alice Birch co-escreveu o roteiro com Lelio e Donoghue.

O romance se passa em Irish Midlands, 1859 e segue uma enfermeira inglesa, Lib Wright (Pugh), que é convocada a uma pequena vila para observar o que alguns afirmam ser uma anomalia médica ou um milagre – uma garota que teria sobrevivido sem comida por meses. Os turistas se aglomeraram na cabana de um garoto de onze anos e um jornalista vai até o local para cobrir a sensação. The Wonder é um conto de dois estranhos que transformam a vida um do outro, um thriller psicológico e uma história de amor contra o mal.

A produção está programada para começar em agosto na Irlanda.

Pugh se tornou rapidamente uma das estrelas em ascensão de Hollywood no ranking das atrizes, após sua transformação em Midsommar e o papel indicado ao Oscar em Little Women. Em seguida, ela estrelou Black Widow, da Marvel, que deve chegar aos cinemas em maio de 2021 e recentemente começou a produção como protagonista feminina de Don’t Worry Darling para a New Line, dirigido por Olivia Wilde. Ela também deve filmar Good Person dirigido por Zach Braff até o final do ano.

Também na frente de desenvolvimento, a Apple TV + conseguiu o projeto Dolly que tem Pugh e ela também se anexou ao filme da Universal The Maid.

Ela é representada pela CAA, Brillstein Entertainment e Curtis Brown.

Fonte: Deadline

O vencedor do Oscar, Morgan Freeman, e a indicada ao Oscar, Florence Pugh, irão estrelar em ‘A Good Person’, escrito e que será dirigido pelo indicado ao Globo de Ouro, Zach Braff.

O filme irá contar a história de Allison (Florence), cuja vida desmorona após seu envolvimento em um acidente fatal. Nos anos seguintes, é o relacionamento improvável que ela cria com o seu futuro sogro (Morgan Freeman) que a ajuda a viver uma vida que valha à pena ser vivida.

A CAA Media Finance está providenciando financiamento e irá representar os direitos domésticos. A Rocket Science irá lidar com as vendas internacionais e irá apresentar o projeto aos compradores no mercado de Berlin virtual que irá surgir.

O filme reúne Zach Braff com o ícone das telas, Morgan Freeman, que estrelou na última estreia diretorial do ator-cineasta, ‘Going In Style’. O remake da Warner Bros arrecadou $85M na bilheteria global em 2017. Zach Braff recentemente dirigiu o sucesso da Apple ‘Ted Lasso’. A estrela de ‘Se7en’ e ‘Million Dollar Baby’, Morgan Freeman, mais recentemente apareceu na ação/comédia, ‘The Hitman’s Wife’s Bodyguard’.

A atriz em alta, Florece Pugh, está saindo de ‘Adoráveis Mulheres’ e ‘Midsommar’ e possui alguns projetos de sucesso que estão por estrear, incluindo a série da Disney+, ‘Gavião Arqueiro’, ‘Viúva Negra’ da Marvel e o novo thriller de Olivia Wilde ‘Don’t Worry Darling’.

Morgan Freeman é representado pela CAA. Florence Pugh é representado pela CAA, empresário George Freeman, Curtis Brown Group no Reino Unido e o advogado Greg Slewett na Ziffren Brittenham. Zach Braff é representado pela CAA e Management 360 e advogado Ken Richman na Hansen Jacobson.

Fonte: Deadline

Seguindo uma guerra competitiva de apostas, a Apple Studios conseguiu ficar com ‘Dolly’, um novo filme com a atriz indicada ao Oscar, Florence Pugh, juntamente com as estrelas Vanessa Taylor e Drew Pearce Penning no roteiro. Fontes próximas ao projeto dizem que o projeto não está completamente pronto no momento, já que o roteiro ainda precisa ser revisto e um diretor ainda precisa ser encontrado. As fontes ainda acrescentam que o pacote atraiu o interesse de um total de quatro apostadores que incluíam diversos estúdios e outra plataforma de streaming com a Apple TV+, que acabou por ser a vencedora.

O filme é uma ficção científica e um drama em um tribunal em que uma “boneca de companhia” robótica assassina seu criador e assim choca o mundo ao alegar que ela não é culpada e exige um advogado. O filme, que é inspirado pelo curta-metragem de Elizabeth Bear de mesmo nome, possui tanto elementos clássicos de drama de tribunal quanto ficção científica.

A Apple Studios está vinculada a produzir com Pearce e também produzir com a ‘Point of No Return Films’ e Florence e Vanessa Taylor serão produtoras executivas. Ian Fisher também será produtor executivo através da ‘Point of No Return Films’.

Florence Pugh rapidamente se tornou uma das estrelas em ascenção de Hollywood nos ranks de protagonistas após seu filme de sucesso ‘Midsommar’ seguido do papel indicado ao Oscar em ‘Adoráveis Mulheres’. Depois ela irá estrelar em ‘Viúva Negra’ da Marvel, que está previsto para estrear nos cinemas em maio de 2021 e ela recentemente começou a produção como protagonista feminina em ‘Don’t Worry Darling’ da New Line, dirigido por Olivia Wilde. Ela também irá participar da adaptação de ‘The Maid’ da Universal.