Fonte: Comicbook

 

  1. Na tarde de sexta-feira, o elenco, o diretor e o produtor do filme ‘Viúva Negra’ da Marvel se reuniram em todo o mundo para uma entrevista coletiva no Zoom para discutir o lançamento do primeiro filme da Marvel Studios desde ‘Avengers: Endgame’, em maio de 2019, e ‘Spider-Man: Far From Home’, em julho de 2019. Estavam presentes a estrela e produtora executiva Scarlett Johansson, a diretora Cate Shortland, os membros do elenco Florence Pugh, Rachel Weisz e David Harbour, e o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige. Foi apresentado por Sarah Spain da ESPN.
    A primeira pergunta: como Shortland quis estabelecer o tom do filme e de seus personagens?

“No início, quando nós falamos sobre o filme pela primeira vez, nós sabíamos que o filme precisava falar sobre duas coisas, que era a Natasha como um indivíduo e sobre o que aconteceu com ela e quem ela era no início do filme, que era completamente só,” Shortland explicou. “E depois eu queria que fosse muito divertido. Eu meio que queria que fosse tipo um passeio de feira, realmente animado… Nós queríamos que fosse cru e que essas coisas se misturassem perfeitamente. Sempre foi a colocando no centro de tudo, mas certificando de que o trauma do passado dela não deixasse o clima pesado.”

O que o período de tempo diz e porque foi escolhido para o panorama de ‘Viúva Negra’?

“Significou que nós especificamente sabíamos que havia um grande período da vida dela que nós não sabíamos nada sobre, não apenas a infância dela, mas este período de tempo entre Civil War e Infinity War,” Feige disse. “Este período nós pensamos que estava incrivelmente maduro para descobrirmos, mais sobre o presente dela e dar uma diga sobre o legado do futuro… Tudo ao mesmo tempo graças à Cate Shortland.” Feige credita ao interesse das pessoas no personagem, à performance de Scarlett e as sementes plantadas nos filmes anteriores.

O que Scarlett pôde fazer com a Natasha que ela não pôde fazer nos filmes anteriores?

“A Cate mencionou que a Natasha no começo deste filme está realmente sozinha pela primera vez,” Scarlett disse. “Ela sempre foi parte de algo que fizesse parte de algo maior… Ela está fora do jogo dela e ela percebe que teve todas as possibilidades a frente dela e isto é realmente sufocante. Depois ela é cegada por esta pessoa que surge do passado dela que está simplesmente pegando fogo e que é uma responsabilidade e tem essa energia louca e é perigosa e cheia de vida e não é carente, mas precisa dela. Ela é jogada muito para fora do jogo dela nisto. É ótimo ve-la desta forma. Nós nunca tínhamos a visto desta forma.”

Também houve a construção da pose de Scarlett, que começou em ‘Homem de Ferro 2’, que se tornou parte de uma piada em ‘Viúva Negra’. “Eu passei 10 anos construindo esta pose icônico com um peso e significado enorme e em segundos ela jogou tudo fora!”, Scarlett brincou.

“Você ria às vezes,” Florence acrescentou.

Como Florence entrou no personagem de Yelena e a desenvolveu?

“Desde o início ficou muito óbvio que elas tinham esta conexão e tinham este relacionamento e, no fim, apesar da lista de habilidades dela, ela é aquela irmã mais nova incrivelmente irritante que diz as coisas mais inoportunas em todos os momentos certos,” Florence disse. “Algo que eu gostei muito foi a Cate ter sido tão receptiva com o fato de eu estar entendendo como ela pensa, como ela se move e o que ela veste. Eu acho, para mim, que isso foi uma parte tão divertida deste personagem. Ela realmente sai da Red Room e pode começar uma vida, pode comprar roupas e pode comprar uma roupa que tenha muitos bolsos… Muito disto nós podemos ver na cena final que ela está florescente, ela está se tornando ela mesma.” Florence também elogia Scarlett por ter recebido ela tão bem e ter criado um espaço tão confortável.

A primeira coisa que Florence gravou foi muito intenso. “A primeira cena que nós gravamos foi a da luta em Budapeste na casa,” Florence disse. Era a primeira semana de Florence e a segunda de Scarlett no set. Shortland explicou que o set era “tipo um forno microondas” porque foi gravado durante uma onda de calor.

Weisz é perguntada sobre estar envolvida com um filme que envolve tantas personagens femininas poderosas. “Eu amo histórias sobre mulheres dirigidas por mulheres. Eu amo interpretar mulheres opostas, mas eu realmente gosto de interpretar com o Guardião Vermelho, Alexei, também,” ela disse. “Eu precisava simplesmente me roubar alguns dias para parar de rir do David Harbour! Foi muito adorável. O que eu amo sobre a Melina é o fato de ela não ter absolutamente nenhum senso de humor, tipo, nenhum… Isso a deixa bem engraçada às vezes. Personagens diferentes.”

David Harbour é perguntado sobre o fato do Guardião Vermelho ser humorado e sério, tudo ao mesmo tempo. “Ele é cheio de luto sobre as escolhas que fez,” Harbour disse. “A comédia em si surge do que é construído para defender o remorso… Isso é inerentemente engraçado, isso é inerentemente bobo. Também a dinâmica familiar entre eles é simplesmente muito divertida… Há quase que uma cena tradicional de nós em volta da mesa, na qual nós todos estamos em nossas roupas de super-heróis… Eu vejo todos nós caindo nestes personagens clichês e depois rindo deles. Isso também foi muito divertido e satisfatório.”

Scarlett que talvez esteja saindo do mundo da Marvel, é perguntada sobre como é receber novas pessoas na família Marvel através do elenco de ‘Viúva Negra’.

“É empolgante porque eu sou parcial, eu amo a nossa família Marvel e eu sei o quão especial é e como são experiências especiais fazer estes filmes, então eu simplesmente estou empolgada para que entrem novos atores, porque eu sei, eu espero, que eles se sintam de forma parecida. É maravilhoso ver pessoas chegarem para fazer as coisas empolgadas e com os olhos brilhantes e poder vivenciar este mundo incrível da Marvel e fazer estas produções enormes… Todos nós já fizemos parte de produções grandes antes, meu acho que pelo fato da Marvel ser tão familiar, simplesmente é único, caloroso, um lugar convidativo… É simplesmente uma coisa divertida de se compartilhar.”

Shortland discute a criação de cenas de luta após ser questionada se filmes MCU anteriores influenciaram o estilo. “Lutas diferentes tinham corações diferentes”, disse ela. “Digamos que estamos olhando para a luta na ponte com o Taskmaster, ela está tentando usar seu conjunto de habilidades, mas aquele personagem com quem ela está lutando, ele pode, ou ela, pode fazer o que ela pode fazer, basicamente. Scarlett não pode usar essas habilidades. O que tentamos fazer em outras lutas foi realmente bagunçar tudo e se tornou como uma luta de rua. Com a irmã dela, ela enfrentou um adversário formidável, então aquelas lutas se tornaram confusas e cruas e isso foi muito divertido. O começo … Foi assistir humanos lutando, não super-heróis, e então eles teriam que realmente lutar… Kevin sempre quis que houvesse estacas. Não era como se as lutas pudessem ser perfeitamente coreografadas.”

Com quais outros heróis da Marvel Harbour e Weisz gostariam de se juntar? Harbor quer ver o Red Guardian com o Capitão América e Weisz quer ver Melina se aliar ao Hulk. “Você tem uma grande lacuna de 25 anos que não sabemos”, disse Harbor sobre seu personagem. “Ele tem todas essas histórias sobre sua vida e o que aconteceu. Elas são questionáveis ​​sobre o que é real … Eu acho que o clássico da Guerra Fria é uma dinâmica muito divertida e engraçada entre esses dois caras e o fato de que eles basicamente surgiram como ogivas nucleares em uma corrida armamentista, juntos. ”

Feige é questionado se os fãs de MCU podem esperar mais prequels. “Este filme e esta história são um caso particular para Natasha, mas a noção de explorar o passado, presente e futuro do MCU está certamente nas cartas de todos os nossos personagens.”

Ele é então questionado sobre os créditos animados de abertura de Black Widow . “Os visuais únicos? Você está se referindo às crianças gritando e chorando? Precisávamos preparar o cenário para o que todas essas mulheres passaram no passado e o que Ray Winestone, o vilão do nosso filme, fez e o que o fez tão mal em seus negócios “, explicou Feige. “Essa ideia surgiu … para mostrar o momento em que eles foram separados. O que aconteceu depois que eles foram separados?… Foi tremendo e foi uma sequência rara de título de abertura que ajudou a definir o tom e a história de fundo para a personagem de Natasha. ”

Como essa história aconteceu para Johansson? “Começamos a falar sobre este filme como uma possibilidade mais séria quando estávamos fazendo Guerra Infinita”, disse Johansson. “Já sabíamos como seria Ultimato para Natasha. Queríamos ter certeza de que era uma escolha que ela fez ativamente, que parecia que ela tinha uma decisão naquele momento. Então, sabendo disso, tínhamos que trabalhar para trás para que ela pudesse chegar a um lugar onde isso fosse possível. Sabíamos que neste filme, ela tinha que evoluir para um lugar onde ela estava avançando em sua vida e havia resolvido o trauma de seu passado… que ela se sentia como uma pessoa diferente seguindo em frente, se faz tanto sentido. Foi uma maneira muito estranha de trabalhar… talvez seja sempre o caso com uma prequel, eu nunca fiz nada parecido.”

Que característica Johansson deseja que as pessoas se lembrem de Natasha?

 

“Eu ia dizer a pose, mas Florence estragou isso”, brincou Johansson. “Eu acho que Natasha tem muita integridade. Ela é uma grande personagem. Ela não tem medo de admitir quando está errada. Ela é cativante desse jeito. Ela é curiosa sobre si mesma e sobre outras pessoas. Acho que isso a faz se destacar.”