A Marvel divulgou na data de hoje a prévia do livro especial do filme de ‘Viúva Negra’. O livro ainda não possui data oficial para ser lançado, mas na prévia já há uma pequena entrevista com Florence, que você pode conferir traduzida a seguir:

Como você se sentiu ao entrar para o Marvel Cinematic Universe?
Com qualquer franquia sempre é levemente desafiador, por causa do quê você irá trazer e do quê você irá interpretar. Eu acho que para qualquer ator isto é automaticamente uma grande coisa, você pessoalmente assistindo a franquia ou não. Todo mundo cresce com os filmes da Marvel ou assistindo eles ou com algum irmão super fã que os ama.

Foi atraente o fato da MCU estar crescendo tanto?
Com certeza. O ato em si de eles colocaram a Cate Shortland na cadeira de diretora, quem eu nunca imaginei que iria dirigir um desses filmes, na frente de uma das histórias mais preciosas é incrível. Isso, por si só, está ramificando. O que nós estamos tentando explicar o tempo inteiro é que parece que a Cate está simplesmente dirigindo um dos filmes dela. Mas por acaso há uma dessas histórias enormes da MCU por trás. Eu nunca pensei nessas duas coisas tão próximas. Também, a história que nós estamos contando é bem horrível. É sobre mulheres que tem sido, essencialmente, abusadas e treinadas para serem máquinas assassinas. Como a Scarlett disse diversas vezes, esta é a época certa para ela contar a história da Viúva Negra. E nós não estamos nos distanciando do fato de que esta história é essencialmente sobre mulheres recuperando suas vidas. E é um filme da Marvel Studios também. Isto é bem raro e é muito excitante fazer parte disto.

Nos conte sobre a sua personagem.
Eu interpreto a Yelena, a irmãzinha mais nova irritante que diz tudo que surge na cabeça dela sem pensar nas consequências. Quando nós a conhecemos, ela meio que está descobrindo o mundo sob uma nova perspectiva. Ela está magoada e complicada e está escondendo. Quando ela encontra a personagem da Scarlett, Natasha, Yelena está meio que redescobrindo quem ela é após ter ficado na Red Room por tanto tempo. Então juntas elas percebem que ambas estão sofrendo de formas bem semelhantes. Há uma amizade adorável e única entre as duas, porque elas, no fim das contas, são irmãs de longa data. Elas consertam uma a outra e o buraco da vida da outra. No centro de tudo há esta jornada brutal descobrindo quem elas são e isto é algo que eu não imaginei que iria combinar com tantas explosões maravilhosas e armas e isto e aquilo. Há na verdade esta história bem triste por baixo de tudo.