Tradução/Adaptação: Florence Pugh Brasil

Florence Pugh está tendo um momento de prazer intenso. Vagarosamente, elegantemente, com a precisão tentadora de Nigella Lawson, ela desliza em uma bola brilhante de burrata. “Ai meu Deus! Você viu isto…” É colocado em frente à ela, chuviscado em pesto; o conteúdo está escorrendo no prato. “Foi bem sexual, não foi?” ela diz. Há uma pausa. “Não fale para todo mundo que eu disse que queijo derretido é bem sexual.”

Mas almoçar com Florence Pugh é uma experiência sensual. Talvez tenha a ver com a nossa tarde sendo recheada com sugestões de crescimento de sobrancelas (dela, não minha), ou o fato da risada de Florence – um rosnado de barriga cheia (ela chama de “risada de dinossauro”) – atravessa o restaurante de tempos em tempos. Ou talvez apenas o fato de Florente ser uma das grandes artistas sensuais – alguém liberta de relações públicas em excesso; possuidora de um apetite prodígio, opinião abundante e uma abertura rara que deixa qualquer pessoa que a conheça querer se exaltar em sua companhia.

Nós nos encontramos no Luca, um restaurante italiano em Clerkenwell, Londres. (Isso foi apenas algumas semanas antes de sermos forçados à ficar de quarentena pelo Covid-19.) Florence está naquele delicioso estágio da carreira em que ela ainda está disposta a oferecer a um jornalista mais do que uma conversa de uma hora durante o ensaio fotográfico da capa dela, então nós decidimos fazer um almoço. O pai dela era dono de restaurantes e ela possui secundariamente o hobby de testar receitas em seus Instagram Stories, então ela fica bastante em casa, arregaçando as mangas às margens da cozinha de um estranho. Quando ela chega, ela tropeça em uma mala quase tão grande quanto ela e diversas malas repletas de coisas que parecem todas as suas posses mundanas. Ela explica que ela passou os últimos meses em LA, mas acabou de chegar em Londres para ficar algumas noites antes de voltar para a casa de sua família em Oxfordshire.

Nós estamos a meia hora em nossa aula de fabricação de massas com o chefe de cozinha quando começa. Enquanto enrolamos nhoque em uma tábua para massas que parece um batente de porta antigo, Florence diz: “Quem decidiu pegar uma ferramenta para palmadas e dizer ‘Eu vou esfregar a minha massa nesse negócio?'” Lá vem a “risada de dinossauro” e um chefe de cozinha corado, que rapidamente encontra uma tábua com um formato diferente. Enquanto o chefe volta para o cômodo, que está cheio de massa, uma bandeja cheia de sobremesas, Florence fica como um filhotinho empolgado. ‘Errrr, quê?’ ela chora em uma montanha de Tiramisù. “Tiramisù é a minha sobremesa favorita. Você sabia disto?” ela pergunta ao confuso chefe. Ele conta que ganhou um pouco de peso desde que entrou para este trabalho. “Está tudo bem,” ela reassegura. “Você é um chefe de cozinha… Combina com você.”

Florence está acostumada a criar camaradagem com estranhos. Ela atribui isto a uma família agitada, metade amante de comida, metade atores (seu irmão e irmã também são atores). “Eu cresci em uma família muito grande, onde comer, performar e conversar era uma coisa de todos os domingos,” ela diz enquanto nós sentamos para aproveitar a nossa massa. “Nós tínhamos almoços grandes com todos os tipos de pessoas do mundo inteiro – músicos, artistas, escritores – e era esperado que nós (crianças) falássemos e fossemos anfitriões.”

Quando Florence tinha 17 anos de idade, estudava em uma escola particular de Oxford e fez audições para o filme de Carol Morley, ‘The Falling’, sobre um grupo de garotas que misteriosamente ficam desmaiando. Florence, que era excepcional nas artes mas nunca na parte acadêmica, conseguiu o papel principal ao lado de Maisie Williams de ‘Game of Thrones’, que àquela época ainda era relativamente desconhecida. Apesar de nunca ter frequentado a escola de teatro, foi uma reviravolta para Florence, que interpretou uma adolescente promíscua que seduzia todos que a conhecia.

Durante as filmagens, Carol Morley não deixava as garotas se assistirem no monitor: “Eu acho que ela não queria que nós atuássemos por vaidade ou que soubessemos o que nós não gostávamos de nós mesmos na tela,” disse Florence. “Ela queria nos manter o mais ingênuas possível.” Este estilo de direção indubitavelmente ajudou a carreira de Florence a decolar. “Eu nunca me incomodei com coisas estranhas que acontecem na frente das câmeras, talvez por causa disto. Eu não me importo com a papada do meu pescoço, essa não é a parte da atuação para mim.”

No início deste ano, Florence foi indicada ao Oscar por Melhor Atriz Coadjuvante, por seu papel como Amy March ao lado de Saoirse Ronan e Emma Watson em ‘Adoráveis Mulheres’. Greta Gerwig, a diretora do filme, me disse que Florence trouxe para ela uma energia familiar e brincalhona ao set todos os dias: “Ela instintivamente sabe como estar em um grande grupo familiar. Ela sempre era a primeira de brincar de luta, a primeira a contar uma piada, a começar com as risadinhas, a comer os bolos do cenário. Ela tem essa energia borbulhante de uma irmandade.”

Esta proximidade de irmandade é algo que a Scarlett Johansson, sua colega de elenco no próximo filme da Marvel, ‘Viúva Negra’, também sentiu: “Eu não tenho uma irmã mais nova,” ela me disse pelo telefone de Nova Iorque. “Mas com a Florence, para mim, parece que há alguns elementos de irmã mais velha e irmã mais nova.” Com o mais recente filme da Marvel, Florence está deixando sua própria marca: seu novo status estrelar foi confirmado em apenas 30 segundos de um trailer exibido durane o Super Bowl, assistido por mais de 100 milhões de pessoas. No trailer, Florence recebeu o mesmo tempo de tela que sua colega de elenco e indicada ao Oscar, Scarlett Johansson.

No meio do sucesso dela, é fácil esquecer que Florence tem vinte e poucos anos. “Eu queria ser tão confiante quanto ela é quando eu tinha a idade dela,” disse Scarlett. “Ela é confiante com o corpo dela e tem muito respeito próprio. Ela me lembrou a mim mesma – quando eu a ouvi falar sobre relacionamentos com amigos, família ou com o parceiro dela – o quão importante é ter essa confiança em suas crenças e desejos.”

O parceiro de Florence é o ator Zach Braff, que também é 21 anos mais velho que ela. Muito foi feito com a diferença de idade (muitos expostos ao público) mas quando você passa um tempo com Florence, você se pergunta como um homem de 24 anos de idade conseguiria acompanhá-la.

A decisão dela de aceitar o papel de Yelena Belova em ‘Viúva Negra’ – uma espiã russa que, assim como a personagem de Natasha Romanova, tem sido treinada no programa da Viúva Negra – não foi fácil de se fazer. “Quando você pensa na Marvel, é grande e desafiadora. Especialmente sendo uma atriz relativamente pequena, olhar para isto e pensar “Ah! Eu vou fazer parte disto,” esta é uma grande decisão,” ela diz. Mas nada poderia ter preparado Florence, que admite que não era uma fanática da Marvel enquanto crescia, para a grande pergunta global. No último verão, o elenco foi revelado na San Diego Camic-Con, a conferência anual de super fãs. “Foi tipo um depósito cheio de gente,” ela diz. “Nós chegamos lá e eu nunca tinha ouvido um rugido como aquele. O que foi bem adorável foi que nós dissemos oi e depois fomos para a frente do público e assistimos a um trecho. Durante todo este tempo, a Scarlett marchava como se fosse a rainha deles,” Florence diz. “Ela é tão incrível e sem esforço. Então nós assistimos ao vídeo e eu estava com medo porque o meu sotaque russo iria estar ali e eu não sabia como iria soar. Eu também estou interpretando uma personagem que ninguém nunca viu, mas nós já lemos sobre ela’ eu não sabia se as pessoas iam me odiar. Nós duas ficamos lá de pé e eu instantaneamente fiquei com as mãos suadas e úmidas. A Scarlett segurou a minha mão e nós apertamos uma a outra e ela também estava com as mãos úmidas! Então eu fiquei tipo “Ah, não tem como se acostumar com isto. Isto também é muito poderoso para você e você é a lenda deles.”

A personagem de Florence em ‘Viúva Negra’ é descrita como estando “em seu pico de condição atlética”. Quando eu falo isto para Florence, ela solta uma risada rouca que parece vir não da barriga dela, mas do pé dela. “Essencialmente, você precisa se movimentar bem. Para mim, eu amei tudo isso porque eu cresci com muita dança e muito movimento. Eu sempre estava lutando com o meu irmão (ator e músico Toby Sebastian), então eu achei toda essa coisa de combate tão excitante. Uma vez que você coloca nas câmeras, você precisa saber como fazer certo e isto é uma coisa completamente diferente,” ela diz.

Haviam grandes rumores de que as estrelas dos filmes da Marvel precisavam se submeter a treinamentos cansativos e dietas pesadas, o que é interessante tendo em vista que Florence falou anteriormente sobre experiências ruins de confiança com o corpo em Hollywood quando era adolescente. “Quando eu consegui o papel, eu queria saber qual era o regime,” ela diz, dando uma garfada de bacalhau. “Eu queria saber se era eles ou eu que estava no comando. Isto era uma grande coisa para mim Eu não queria fazer parte de algo em que eu era constantemente vigiada e que as pessoas se certificassem de que eu estava em “boa” forma. Essa não sou eu mesma.”

Ainda assim, ela diz que comeu bem, cozinhava de manhã e levava a marmita de comida feita em casa todos os dias. “A Scarlett tinha este cara maravilhoso que cozinhava coisas lindas para ela e para a equipe dela. Eu achei isso inteligente, porque você está tentando se manter saudável o tempo todo e você precisa ter alguém controlando o que você vai comer e os nutrientes que você está recebendo. Eu lembro que ela me perguntou ‘Por que você está cozinhando para si mesma? Nos deixe te alimentar!’ e eu fiquei tipo “Não”, ela diz, rindo com a memória. “Meu cérebro é tão “Pew, pew, pew,” ela diz, atirando lasers imaginários com os dedos. “Genuinamente, minha terapia é cortar ingredientes, cozinhar, mexer e experimentar.”

Uma das coisas que os fãs de Florence amam nela é sua abordagem franca da vida como atriz, especialmente nas redes sociais. Ela recentemente fez uma série de stories do Instagram repreendendo seu iPhone por automaticamente trocar um filtro em uma selfie que ela postou: “Isto deveria ser sua decisão,” ela diz, ainda visivelmente chateada com a experiência. “Eu não estou dizendo que eu quero exibir as minhas falhas, mas o ponto é que eu deveria decidir quais delas devem ser eliminadas, não o meu telefone ser automaticamente programado para tirar as coisas que fazem de mim eu mesma.”

Ela admite que ela aborda a vida online com um toque de diversão. “Quando eu estou fazendo marmelada, eu não tenho o cabelo bonito. Há momentos na minha vida que eu me arrumo toda e dois artistas incríveis vêm à minha casa e pintam, me puxam e me arrumam por duas horas. Depois eu vou para o tapete vermelho. Isso é um evento de duas horas, depois eu vou para casa e tiro tudo. Mas quando eu faço marmelada, eu estou normal,” ela diz.

Nas redes sociais também é onde ela responde as mensagens de ódio direcionada ao Zach Braff. Quando os paparazzis tiraram fotos deles de mãos dadas, os haters falaram para o ator de Scrubs: “Você tem 44 anos de idade,” Florence respondeu simplesmente com: “E ainda assim ele conseguiu.” Quando ela olha para trás, ela diz que foi “necessário”. “Porque as pessoas precisam perceber que isto é doloroso. Eu tenho o direito de andar, ficar e sair com quem eu quiser.” ela diz soltando uma risada nervosa.

“Eu sempre achei esta parte do que as pessoas fazem bem bizarra. Eu sou uma atriz porque eu gosto de atuar e eu não me importo se as pessoas assistem as minhas coisas, mas as pessoas não tem o direito de me educar na minha vida privada.” Ela está, no entanto, ciente de que namorar outro ator talvez atraia mais atenção: “Eu sei que parte de estar nos holofotes talvez invada sua privacidade e tenha opiniões sobre isto, mas é bizarro que pessoas normais são autorizadas a exibir ódio e opiniões em uma parte da minha vida que eu não estou colocando à vista. É um lado estranho da fama que você fica exposta para ser despedaçada por milhares de pessoas, mesmo que você não tenha colocado esta parte sua à disposição,” ela diz, repentinamente séria. “Eu não quero falar sobre isto, porque isto não é algo que eu queira destacar, mas o meu ponto para tudo isto é que não é estranho que uma pessoa desconhecida possa destruir complatemente o relacionamento de alguém e isto é permitido?”

Florence levou seus pais e não Zach ao Oscar. “Isto não foi um desrespeito para ninguém; eu precisava que eles estivessem ali,” ela diz. Ela achou a experiência tão “maravilhosa, tão estranha e tão esquisita”, mas ela levou lanchinhos para sobreviver à cerimônia de quatro horas.

“Em um ponto, todo mundo ficou de pé para aplaudir Martin Scorsese. Eu simplesmente peguei um pacote de M&Ms. Enquanto todos nós levantávamos, uma câmera surgiu bem na minha cara e eu estava balançando esse pacote de M&Ms. Então eu apenas tive que largá-lo… No chão. Eu pensei: ‘Eu não posso ser a garota que está comendo M&Ms enquanto está aplaudindo o Martin de pé.”

Nós estamos na nossa terceira tigela de massa e o tempo da nossa entrevista acabou. Há um motorista esperando para levar Florence para Oxfordshire. Ela educadamente pede para embalar as sobras para levar para casa. “A minha mãe adora um prato com sobras,” ela diz, obviamente ansiosa para o conforto de casa. Nós saímos do restaurante e eu pergunto se ela é reconhecida. Ela diz que a não ser que ela esteja com alguém (como a Scarlett) e as pessoas somem 2 + 2, ninguém para ela na rua; ela consegue se safar sendo uma “loira normal”.

Ela leva sua mala para o carro, enquanto faz malabarismo com diversas malas: “Uma semana no Oscar e olhe para mim agora!” ela diz enquanto nós nos despedimos. Mas enquanto ela é levada embora com a marmita em seu colo, eu não tenho certeza do quanto vai durar esta vida como uma loira normal.

Confira as fotos e as scans da revista clicando aqui.